Perguntas Frequentes

1A falta de dentes pode prejudicar?
Sim. A falta de um ou mais dentes leva a todo um desequilíbrio da mordida e da musculatura, causando perda estética, prejuízo aos dentes remanescentes, problemas de mastigação e dores na região da articulação dos maxilares. Portanto é imprescindível a reposição dos dentes perdidos, por meio de próteses dentárias ou implantes dentais.
2O que são os implantes dentais?
São componentes feitos de titânio, que são fixados no osso para repor um ou mais dentes. O implante repõe a raiz do dente perdido, e sobre o implante é instalada a prótese, que repõe a coroa do dente.
3O que é preciso para colocar um implante?
É necessário ter osso suficiente para a fixação primária do implante, tanto em altura como em espessura. Caso não haja, são realizados enxertos ósseos.
4O que é a cárie dental?
É uma doença de origem bacteriana. As bactérias que se encontram normalmente na boca transformam os restos de alguns alimentos em ácidos, que atacam os tecidos mineralizados do dente, dando origem a uma cavidade.
5Por que é importante usar o fio dental?
O fio dental é capaz de remover resíduos de alimentos e placa bacteriana entre os dentes, onde as cerdas da escova não conseguem alcançar e eliminar, evitando a inflamação da gengiva.
6É normal que as gengivas sangrem?
Não. O sangramento durante o uso do fio dental pode acontecer porque a gengiva está inflamada. Neste caso, o uso do fio dental não deve ser interrompido, pelo contrário, a utilização diária melhorará a inflamação. Outro fato que pode estar ocorrendo é a utilização incorreta do fio dental ou da escova, que pode estar machucando a gengiva.
7A partir de qual idade uma criança precisa ir ao dentista?
O ideal é antes do primeiro ano de vida, mais ou menos aos seis meses de idade ou quando erupcionarem os primeiros dentinhos. Nessa consulta, o odontopediatra orienta os pais quanto aos hábitos alimentares e de higiene bucal, uso do flúor e quanto aos hábitos de sucção não-nutritivos, muito comuns nessa faixa etária. A remoção destes hábitos como da chupeta ou da sucção do dedo tem a finalidade de prevenir a instalação da má oclusão.
8Se os dentes de leite são temporários, por que é importante tratá-los?
Os dentes de leite preparam o caminho para a erupção dos dentes permanentes, servindo de guia para esses nascerem de forma correta. A perda prematura dos dentes decíduos, ou de leite, é considerada como um dos fatores de origem e desenvolvimento de uma articulação anormal dos dentes permanentes.
9Quais são os tipos de aparelhos ortodônticos?
Os aparelhos podem ser classificados simplificadamente em aparelhos ortopédicos e ortodônticos. Os ortopédicos, podem ser fixos ou removíveis, são empregados para provocar alterações nas bases ósseas, maxila e mandíbula.

O aparelho ortodôntico fixo é utilizado para a correção através da movimentação dentária. É composto pelos bráquetes que podem ser metálicos ou cerâmicos que ficam colados aos dentes através de uma substância adesiva, e por um arco que serve de guia para a correção.

Existem 2 tipos de aparelho fixo: os convencionais e os auto-ligáveis

Nos aparelhos fixos convencionais, o arco mantém-se preso a cada um dos bráquetes através de elastics.

É necessária manutenção mensal, para que o ortodontista ajuste regularmente o aparelho ortodôntico, obrigando os dentes a moverem-se continuamente no sentido desejado.

Aparelhos fixos autoligáveis possuem a tecnologia mais avançada existente no mercado, cujos bráquetes são os mais modernos e os arcos adequados a cada estágio do tratamento, proporcionando ótimos resultados em um tempo menor de tratamento, em manutenções mais espaçadas.

O sistema dispensa o uso das elastics e acessórios, promovendo uma maior força para mover o dente, pois, apresenta um encaixe próprio que fixa o arco mantendo o fio ativado durante mais tempo.

A ausência de elastics favorece uma melhor higiene bucal, evitando assim o aparecimento de cáries. Também podem ser metálicos ou cerâmicos.
10Os filhos podem herdar uma má oclusão de seus pais?
Sim. Apesar de o problema hereditário ser um dos fatores, existem inúmeros outros que podem levar a necessidade de tratamento ortodôntico, como: respiração bucal, sucção prolongada de dedo ou chupeta, perda precoce de dentes de leite, anomalias dentais, entre outros.
11O tratamento ortodôntico é dolorido?
No início, principalmente na colocação do aparelho, causa sensibilidade. Após essa fase, existirá algum desconforto para o paciente, cerca de 24 a 48 horas após as ativações praticadas pelo ortodontista.
12Existe algum risco no tratamento ortodôntico?
Quando a má oclusão é corretamente diagnosticada, o tratamento é bem planejado e executado por profissional qualificado, não existem riscos maiores. Entretanto o paciente deve seguir todas as instruções dadas, principalmente no aspecto de higiene, pois a placa bacteriana pode causar problemas gengivais, manchas brancas ou mesmo cáries.
13Em que idade deve ser realizada a primeira consulta ao ortodontista?
Crianças e adultos podem se beneficiar da ortodontia, porque os dentes podem ser movidos com segurança em qualquer idade. No entanto, cada má oclusão determina a melhor época para iniciar o tratamento - e o aproveitamento da fase de crescimento é crucial.

Por esta razão, recomenda-se que todas as crianças visitem um ortodontista ao iniciarem as trocas dos dentes, aproximadamente aos 6 anos de idade. Esperar até todos os dentes permanentes nascerem, ou até que o crescimento facial esteja quase completo, pode tornar a correção mais difícil.
14Quais os benefícios do aparelho além da estética?
A função principal é restabelecer a oclusão dentária (perfeita engrenagem dos dentes superiores e inferiores), para a correta mastigação e, conseqüentemente, adequada nutrição e saúde bucal. Com o restabelecimento da oclusão, evitam-se problemas de respiração, deglutição, fala e da articulação temporomandibular.
15Até que idade o paciente adulto pode ser submetido ao tratamento ortodôntico?
Não existe idade máxima, embora alguns cuidados especiais devam ser tomados, principalmente em relação aos tecidos de suporte dos dentes. Se eles estiverem muito danificados podem chegar a contra-indicar o tratamento. Este pode ser mais lento e limitado, devido à falta de crescimento, problemas periodontais, perdas de elementos dentários, próteses e restaurações extensas.